• Fernanda Lucena

Conhecendo os Ensaios Não-Destrutivos

Por definição, os ensaios não destrutivos (END) são aqueles utilizados para avaliar alguma propriedade de um elemento, sem que haja interferências na sua integridade. São comumente utilizados em diversos ramos da indústria para avaliações preventivas ou quando não existe possibilidade de destruir o elemento em análise, sendo bastante vantajoso na avaliação de peças de alto custo e difícil substituição.


Dentro da classe de ensaios não destrutivos, podemos encontrar diferentes métodos como o ultrassom, a radiografia, e os ensaios magnéticos e eletromagnéticos. Grande parte desses métodos se tornaram imprescindíveis em setores de manutenção preventiva e de qualidade, pois são capazes de detectar defeitos em pequenas escalas. A partir da execução e avaliação dos END, é possível indicar a necessidade de troca de componentes, evitando a ocorrência de falhas indesejadas durante a produção, e também garantir a qualidade de peças recém-fabricadas.



Imagem: Ensaio de Ultrassom


Os ensaios não destrutivos podem ser aplicados nos mais diversos tipos de componentes, independente de características como forma, dimensões, material, e processo de fabricação. Porém, tais características deverão ser levadas em consideração na escolha do método a ser utilizado, assim como também deve ser considerado o tipo de defeito e a precisão que se deseja alcançar na análise. Alguns métodos, como o ensaio de líquido penetrante, são capazes de indicar apenas trincas superficiais invisíveis a olho nu. Já métodos como o ultrassom, são capazes de identificar trincas internas com tamanhos que podem ir de 5mm até 1µm.



 

Referência:

GARCIA, Amauri. Ensaios dos Materiais. 2ª Edição - Rio de Janeiro: LTC, 2012